Telco Club 2018 – SESSÕES

TELCO CLUB 2018

SESSÕES

DISPONÍVEIS ON-DEMAND

APRESENTAÇÃO

tude

Eduardo Tude
Presidente
Teleco

Futurecom e a evolução das tecnologias de TIC no Brasil

Estudo elaborado pela Teleco traça um paralelo entre a evolução das tecnologias de TIC no Brasil e os temas principais debatidos no Futurecom nos últimos 20 anos.  O estudo é  usado como base para mostrar a evolução de  temas chaves como o móvel, transformação digital, streaming de vídeo, IoT e o avanço das redes de fibra.

A sessão avalia também os temas que estarão em pauta no futuro, como 5G, IoT, Inteligência Artificial e Transformação Digital das Operadoras.

ENTREVISTA

EDUARDO NAVARRO

Eduardo Navarro de Carvalho
Presidente e CEO
Telefônica Brasil

Presidente da Telefônica/Vivo fala sobre as estratégias de 5G, IoT e Transformação Digital da empresa

A estratégia da Vivo para abordar temas chave como  Transformação Digital, 5G, IoT e Inteligência Artificial foi discutida nesta sessão. A Vivo está atuando de forma integrada ao Grupo Telefônica para avançar na transformação digital, que envolve a virtualização das redes, modernizar o relacionamento com os clientes através de uma interface digital via Apps e a oferta de serviços além da conectividade, como os de IoT. O agronegócio é uma das áreas de foco da Vivo em IoT. Este processo de transformação vem acompanhado de uma mudança cultural na empresa com o estabelecimento de regras de trabalho mais flexíveis.

A implantação da tecnologia 5G deve ser feita de forma gradual, de acordo com business cases como a oferta de banda larga  fixa utilizando a rede 5G. A Vivo está avançando no uso de Inteligência Artificial e considera que os dados pessoais pertencem aos clientes e só podem ser utilizados quando autorizados.

APRESENTAÇÃO

Ian Hood

Ian Hood
Chief Technologist Global Telco
Red Hat

As operadoras modernas são abertas: A estrutura “Open Telco”

A ruptura é o novo normal e a agilidade é a única vantagem sustentável na economia digital de hoje. As empresas de telecomunicações modernas estão enfrentando pressões competitivas significativas, ao mesmo tempo em que apóiam as demandas dos clientes por serviços personalizados e crescimento extraordinário do tráfego.

Para enfrentar esse desafio, o framework open telco da Red Hat oferece uma forte base de arquitetura 5G que ajuda as empresas de telecomunicações a implementarem aplicativos computacionais de borda de acesso múltiplo (MEC), realidade artificial, borda empresarial e Internet das Coisas (IoT).

ENTREVISTA

paulo.teixeira

 Paulo Cesar Teixeira
CEO
Claro

O êxito da Claro Brasil se baseia na simplicidade de suas ofertas comerciais

Melhorar a experiência dos usuários é um dos principais fatores que as operadoras estão tentando atacar em seu processo de transformação. Por isso, Claro Brasil optou por iniciar um trabalho de simplificação de suas ofertas comerciais para ambos segmentos, pré-pago e pós-pago. Essa medida não somente resultou em uma melhor posição para captura de clientes, mas reduziu em 5% as chamadas ao call center; dado esse que indica que uma simplificação de tarifas gera sinergias em outras áreas da empresa.

Além disso, Claro Brasil segue focando no crescimento e fortalecimento de sua rede 4G enquanto estuda como essa tecnologia e a futura 5G se complementarão. Além disso, segue com seus planos de Internet das Coisas através de uma rede NB-IoT já disponível e faltando apenas concretizar acordos com seus clientes e parceiros para iniciar sua capitalização.

APRESENTAÇÃO

Jesus Luzardo

Jesus Luzardo
Head of Marketing – Caribbean & Latin America
Amdocs

Monetizando a economia digital

Graças aos requisitos da economia digital, a forma de fazer negócio dos provedores de serviços está passando por uma disrupção. Mas, como cada desafio representa uma oportunidade, isso não é diferente na economia digital.

Provedores de serviços estão empregando diferentes estratégias para extrair valor desse novo cenário e monetizar as novas oportunidades apresentadas por comunicações multi-play, serviços digitais e de conteúdo, como IoT; alguns através de parcerias enquanto outros, adaptando seus sistemas existentes.

5G está chegando e enquanto provedores de serviços estão trabalhando para implementar suas novas redes, precisamos pensar em que novos produtos e serviços focar, para monetizar. Além disso, temos que estar preparados para capacidades do 5G de “mudar o jogo” e também como poderemos monetizar esses novos serviços.

ENTREVISTA

leonardo-capdeville

Leonardo Capdeville
VP de Tecnologia
TIM Brasil

A relação entre OTT’s e operadoras deve melhorar para benefício mútuo

TIM considera que poderá superar os novos desafios que enfrentam as operadoras, por tratar-se de uma empresa reconhecidamente inovadora. Apesar dos usuários parecerem estar em vantagem na sua relação com as operadoras, essas ainda tem uma maior influência junto aos usuários por lhes oferecer conectividade, segurança e confiança. Esses valores são muito importantes e os usuários não devem querer sacrificá-los em troca de ofertas de jogadores que oferecem serviços “best effort”.

Por outro lado, não devemos ver a relação entre OTT’s e operadoras como uma concorrência, mas como uma parceria que permitirá a criação de melhores ofertas.

Nessa conversa, TIM nos mostra também como está se preparando no caminho para o 5G, adaptando sua rede para esperar a chegada da nova geração.

APRESENTAÇÃO

ricardo szwarc

Ricardo Szwarc
Gerente sênior de Solutions Consulting
Openet

No caminho do 5G e das aplicações “Cloud Native”

O objetivo da apresentação a ser realizada pelo consultor de soluções para o Brasil da Openet, Ricardo Szwarc é discorrer sobre a nova geração das redes de Telecomunicação, o 5G.

O 5G não é apenas outro G ou uma mera evolução do que aconteceu antes. É uma revolução na tecnologia baseada em nuvem por definição. É um facilitador de uma gama expansiva de novos serviços e ainda oferece maiores opções em termos de facilidade de configuração de serviço, evolução e granularidade de controle, que foram inimagináveis nas gerações anteriores. Aproximando as redes de Telecom as redes de TI, o 5G permite realizar integralmente a ambição digital das operadoras e o anseio dos clientes por serviços ágeis

A Openet vem trabalhando com tecnologias de virtualização e de nuvem em seus produtos há 5 anos, permitindo através de uma arquitetura baseada em microserviços benefícios como escalabilidade elástica e computação de borda (edge computing), que serão necessários para as funções da rede core 5G. A Openet trabalha com DEVOPS onde a ciclo de vida das funções de rede é totalmente automatizado permitindo que mais versões sejam testadas e implementadas num ambiente de computação colaborativa entre funções de rede e aplicações de TI.

ENTREVISTA

Juarez Quadros

 Juarez Quadros
Presidente
Anatel

O futuro das telecomunicações no Brasil: o que esperar e o que deverá ser feito

Neste depoimento, Juarez Quadros, Presidente da Anatel, nos apresenta suas perspectivas sobre a evolução do setor de telecomunicações do Brasil, suas oportunidades e desafios.

Indica também as medidas que deverão ser tomadas pelo Governo Brasileiro para possibilitar a implantação de novos serviços e novas tecnologias.

ENTREVISTA

Eduardo Levy

Eduardo Levy
Presidente Executivo
SindiTelebrasil, Febratel e Telebrasil

A importância do setor de TIC para o Brasil e sua economia

O setor de TIC é fundamental para o desenvolvimento do Brasil em todos os níveis. Trata-se de um setor capital para o futuro de qualquer sociedade e os países que vem lhe dando prioridade há algum tempo, são hoje os mais competitivos, independente de seu tamanho ou sua riqueza.

Na America Latina existem exemplos como Chile e Colombia que já estão dando essa prioridade e também países como China que fortaleceram sua posição de competitividade graças ao desenvolvimento de TIC.

Sem dúvida, no Brasil os governantes não parecem dar prioridade a esse setor focando mais em infraestruturas tradicionais, que seguem sendo importantes mas não podendo deixar de contar com o desenvolvimento de TIC, do qual necessitam para serem mais eficientes.

ENTREVISTA

ari

Ari Lopes
Analista Sênior
Ovum Americas

Primeiro melhorar o relacionamento e depois criar a plataforma de colaboração

A receita da Ovum para as operadoras em seu caminho para a transformação digital passa pela melhora da relação entre operadora e seus clientes, para depois criar uma plataforma de colaboração que permita chegar a acordos com os diferentes atores que geram os conteúdos e serviços no mundo da nuvem. Isto significa que as operadoras terão que definir contra quem competem e com quem devem fechar alianças estratégicas.

O interessante é que nesse momento a discussão já não é tecnológica mas centrada no negócio e depois, como as tecnologias poderão habilitar esses novos negócios.

ENTREVISTA

mauro-fukuda

Mauro Fukuda
Diretor de Estratégia, Tecnologia e Arquitetura de Rede
Oi

Precisamos oferecer ao usuário ferramentas digitais de auto gestão

Oi, como as demais operadoras do Brasil, está conduzindo seu próprio processo de transformação digital. Nesse processo, Oi considera que um ativo muito importante que é o contato direto com o usuário. A idéia da Oi é portanto, melhorar esse contato direto, entregando ao usuário ferramentas digitais que lhe permitam ter o controle de seus serviços.

Essa transformação digital da Oi passa pela oferta de uma conectividade robusta e serviços associados, em conjunto com desenvolvedores de aplicações e serviços digitais, de forma que possa ampliar seu portfolio de produtos. Para tal, Oi está modernizando seu sistema BSS para poder adequar-se às novas realidade e perspectiva da economia digital.

APRESENTAÇÃO

Walter Kenrich

 Walter Kenrich
Director of Solutions Marketing
Ribbon Communications

Segurança multilayer – fechando as aberturas de segurança em sua rede de comunicações real-time

O número de ameaças à segurança de redes de comunicações real-time explodiu.

Walter Kenrich, Diretor de Marketing de Soluções da Ribbon, vai nos levar através dos benefícios de alinhar seus dados para estabelecer linhas de performance e monitorar desvios anormais dessa linha; para visibilidade de rede aumentada, avaliação de ameaças e mitigação.

ENTREVISTA

andre-sarcinelli

André Sarcinelli
CTO
Claro

A transformação digital está no top 10 das prioridades de todas as empresas

Ainda que a maioria das empresas tenham a transformação digital como parte de suas prioridades, a realidade é que a maioria não conseguiu ainda transformar seus pilotos em produtos efetivos. O ano de 2018 tem sido o ano do “purgatório” por onde as empresas tem que passar das provas até a execução comercial.

Uma das dificuldades desses pilotos é a melhor escolha da conectividade, que não dependerá do 5G pois todas as tecnologias de acesso serão úteis, para diferentes casos de uso. Existem casos de tão baixa capacidade que podem perfeitamente trafegar em uma rede GSM.

De qualquer forma, a Claro está adaptando sua rede para estar pronta para receber o 5G.

Esses e outros fatores da transformação digital serão abordados nesta sessão.

APRESENTAÇÃO

alexandre

Alexandre Cezar
Consultor CISSP e consultor de segurança de engenheiros na região Américas
Juniper Networks

Simplificando a transição para a solução Enterprise Multicloud com SD-WAN e serviços na nuvem

Para se manterem competitivas num mercado em rápida evolução, muitas empresas estão desenvolvendo estratégias digtais para reduzir seus custos e aumentar sua produtividade. Estes planos têm dado ênfase na nuvem para simplificar, automatizar e escalar suas ferramentas e processos de negócios, visando a expansão de seus negócios para outros mercados ou regiões.

Como resultado, a demanda por conectividade aumenta exponencialmente, as WAN’s (Wide Area Network) estão mais complexas e as empresas estão buscando provedores de serviços que também ajudem a simplificar suas WANs e que mantenham seguros seus end points e que possam ajudar nas suas transições para multicloud.

Nesta sessão, abordará como você poderá se beneficar com o Contrail SD-WAN da Juniper e entregar um serviço gerenciado de SD-WAN seguro para seus clientes, ao mesmo tempo em que habilitará uma plataforma muito mais ampla e capaz de oferecer um portfólio mais abrangente de serviços gerenciados.

APRESENTAÇÃO

fERNANDO MOULIN

Fernando Moulin
Diretor de Experiência Digital
Telefonica/ Vivo

Você está preparado para a Transformação Digital?

A economia digital está cada vez mais se afastando dos modelos proprietários e adotando modelos onde existem plataformas abertas e onde muitos jogadores aportam e aproveitam suas capacidades para gerar riqueza e inovação, sendo fundamental uma colaboração para o desenvolvimento de negócios.

Isso faz com que se defina a relação entre consumidor e empresa prestadora de serviços, ganhando o usuário um novo poder. Desta forma, para poderem ser competitivas, as operadoras de telecomunicações devem melhorar a experiência do usuário quando acessa seus serviços digitais.

Para poder realizar sua própria transformação, Vivo criou seu laboratório, montando uma equipe de trabalho cuja missão é seguir os ciclos de desenvolvimento de produtos e serviços demandados pela era digital.

APRESENTAÇÃO

phillip dane

Phillip Dane
Director of Business Development
Amdocs

“Customer Care” é a experiência do cliente

Negócios em todas as Indústrias e, particularmente em Comunicação e Media, entendem que organizações de Atendimento a Clientes tem que se  transformar em centros preparados para cuidar de interações críticas de clientes. Essas organizações focarão na qualidade das interações, medidas pela retenção de clientes e valor a longo prazo.

APRESENTAÇÃO

fernando otani

Fernando Otani
Diretor de Transformação Digital
Sky

Transformação dos Canais Digitais de Vendas

Otani, Diretor de Transformação Digital da SKY, irá apresentar o processo de Transformação dos Canais Digitais de Vendas. Serão apresentados insights para alavancar as vendas digitais, buscando iniciativas que alcancem as fronteiras do Brasil que tradicionalmente são esquecidas em um processo digital. Um jeito diferente de trabalhar o tripé (Captura, Tratamento e Acionamento) e os resultados obtidos.

Segmentação do Público em Personas, Meritocracia como principal alavanca da tomada de decisão e controle end2end do funil de vendas serão temas abordados durante a apresentação.

ENTREVISTA

ruy gomes

Ruy Gomes
CEO
Um Telecom

joao

 João Moura
Presidente Executivo
TelComp

O crescimento das operadoras competitivas no Brasil foi causado pelo desinteresse dos grandes jogadores

As pequenas operadoras do Brasil experimentaram um forte crescimento nos últimos quatro anos, devido, em parte, ao possível desinteresse no atendimento de certos setores, por parte das grandes operadoras, no interior do mercado brasileiro.

No entanto, esse crescimento não será infinito e essas operadoras buscam novas fórmulas para poder seguir crescendo e consolidar-se no mercado como jogadores relevantes do setor. Muitas dessas empresas são negócios familiares que estão se transformando para serem mais profissionais.

Além disso, o crescimento do setor vai depender de que continuem investindo em CAPEX e que se ofereçam condições regulatórias para incentivar esses investimentos. Até alguns anos 10GB parecia muito e agora 100Gb ficou pouco! Para isso tem que haver desenvolvimento de redes de forma robusta.

APRESENTAÇÃO

Ivan

Ivan Ianelli
Diretor Presidente
ABEPREST

Desafios e oportunidades das novas tecnologias que mudarão a sociedade do Brasil

Brasil se prepara para receber uma série de novas tecnologias que terão um profundo impacto em sua sociedade. Dentre essas, destacamos a chegada de 5G, IoT, Big Data, serviços na nuvem, Inteligência Artificial e. definitivamente, a transformação digital das operadoras e do resto das empresas de diferentes verticais que se apoiarão nessas tecnologias para serem mais eficientes e competitivas.

Para as operadoras, todas essas tecnologias representam uma grande oportunidade cujo primeiro reflexo vai ser um aumento no volume de trabalho, o que afetará especialmente as empresas de engenharia, que terão aumentadas as demandas das operadoras. Além dessas, fabricantes e integradores também demandarão mais serviços. E, finalmente, os próprios verticais irão potencializar sua demanda de tecnologias de IoT.

Tais oportunidades também trarão grandes desafios, como encontrar lugares para instalar essa nova infraestrutura que virá melhorar os serviços. O financiamento das empresas locais também será um fator importante para o êxito do mercado.

APRESENTAÇÃO

fabio moraisOK

 Fabio Moraes
Diretor de Estratégia
Associação GSM

Mega tendências e perspectivas para 2025

Em 2025, 80 porcento da população terá um smartphone e, existe um desafio de trazer os restantes 20 porcento para o mercado da economia digital.

Isso significa que o contato principal com o mundo digital será através desses smartphones.

Sendo assim, a experiência do usuário, quando acessa a vida digital, através desses dispositivos, deve ser positiva e eficiente.

Para tal, a inteligência artificial terá um papel fundamental na oferta para esses usuários, da experiência adequada para a era digital.